sexta-feira, 1 de março de 2013

Novo Basket (II): Parceria FPB/FADU para escalões acima de sub18



Eis as principais razões para que a FPB e a FADU se aproximem e façam o esforço de servir melhor, e em conjunto, os interesses e as necessidades dos seus associados que, em muitos casos, são comuns:

a) Existe actualmente um défice gigante ao nível do desporto escolar no nosso país. Este mesmo desporto escolar tem o seu ponto mais alto na FADU - Federação Académica do Desporto Universitário, verdadeiro baluarte da máxima "mente sã em corpo são". Privilegiados são todos os que participam nas provas da FADU pois são o exemplo de que se pode ter sucesso académico e desportivo em simultâneo, sendo que um potencia sempre o outro.

b) Paralelamente, temos também um défice ao nível do escalão sub20, quer de atletas quer de equipas que consigam proporcionar um campeonato apelativo e representativo do que de melhor se vai fazendo por cá. Senão, atentemos que existem 119 equipas inscritas de sub18, caindo esse número abruptamente para 37 (27 no Campeonato Nacional e 10 na Taça Nacional) quando falamos de equipas sub20 inscritas na FPB. São 82 (OITENTA E DUAS!!!!!) as equipas que desaparecem quando fazemos esta transição entre estes 2 escalões que antecedem o escalão sénior. Citando os nossos líderes de agora, é "colossal" esta diferença! Logo, estas competições estão claramente longe de preparar os atletas para as exigências das competições seniores que aparecem logo ao virar da esquina, mesmo para quem opte ficar a jogar neste país... A principal razão apontada para este abismo (de sub18 para sub20) é, regra geral, a dos atletas que vão para outras terras estudar para a Universidade... 

c) Ora, se tomarmos como exemplo as práticas da FIBA, reparamos que esta prestigiada entidade organizou, até 2005, Campeonatos Mundiais de Sub21. No entanto, após essa data, a FIBA e a FISU terão acordado que as Universíadas passariam a funcionar como Campeonato do Mundo Sub24 (Feminino e Masculino). E foi assim que, após 2 títulos nacionais universitários, tive a honra de treinar Portugal nesse Campeonato do Mundo, em 2009. A participação foi possível devido ao trabalho conjunto de FPB e FADU, mostrando que é possível duas entidades independentes e autónomas trabalharem como fazem os seus associados: em Equipa! Conquistámos a 16ª posição, entre 24 equipas participantes (à frente de Brasil, Irão e China, entre outros). Esta é, ainda hoje, a melhor classificação de sempre que Portugal conseguiu num Campeonato Mundial de Basquetebol... Pena que, na edição seguinte (2011) Portugal não tenha honrado a nossa conquista e tenha desistido de participar...  

d) A nível europeu, a condução do desporto universitário é feita pela EUSA, responsável pela organização dos Campeonatos Europeus Universitários. Muitos são os casos de sucesso de atletas e equipas nacionais nestes prestigiados campeonatos. De facto, as duas universidades europeias com melhores resultados desportivos em 2012 foram Coimbra e Minho, ambas portuguesas! Ou seja, numa altura em que tantos nos queixamos (e com razão) da má qualidade dos nossos líderes, eis que temos uma nova liderança a emergir e a afirmar-se claramente no contexto europeu. Estes serão, sem dúvida, os nossos líderes de amanhã! Acarinhêmo-los como merecem!

e) O campeonato nacional universitário de basquetebol conhece o seu ponto alto lá para os finais de Maio. Até lá, realizam-se encontros/torneios de apuramento que pouco interesse têm para as equipas tradicionalmente mais "fortes". Ou seja, competição verdadeiramente dita apenas existe num período de 2 a 3 dias, facto que também está longe de preparar os vencedores para os desafios europeus que os aguardam.

f) O basquetebol português precisa urgentemente de ideias, mas sobretudo de práticas, novas! MUDAR É URGENTE! Senão perderemos irremediavelmente mais uma geração de atletas/homens.

Face ao exposto, é urgente que os responsáveis pela FPB e pela FADU partilhem boas práticas e desenvolvam sinergias que permitam servir melhor os jovens atletas maiores de 18 anos. E assim evitar este êxodo em massa que a FPB não se tem mostrado competente para, sozinha, estancar!

A minha sugestão do mês de Janeiro já se encontra activa e produtiva. De facto, o desprezo com que a FPB tem tratado os seus ex-atletas e os seus veteranos e veteranas tem certamente os seus dias contados! O meu sincero MUITO OBRIGADO a tod@s quant@s contribuem diariamente para o desenvolvimento (para alguns é o salvamento) do basquetebol português!



Sem comentários:

Enviar um comentário