sábado, 21 de abril de 2012

Carta aberta à ANTB



Acabo de cancelar a minha inscrição como sócio da ANTB - Associação Nacional de Treinadores de Basquetebol, num texto que aqui partilho convosco.

"Cara ANTB,

Agradeço a recente resposta ao email que vos enviei há 8 meses atrás.
Parece-me tempo demasiado para uma resposta como esta que me enviaram mas antes tarde do que nunca.
Contudo, não consigo perceber como me é dada uma resposta em que é expresso que “as posições da nossa Associação devem resultar do debate sereno e ponderado sobre os temas que preocupam os Treinadores, e os sócios em particular, tendo em vista poder assumir a sua representação na procura de soluções em prol do progresso do Basquetebol e da valorização dos Treinadorese cerca de um mês depois emitem este comunicado: http://antb.pt/index.php/noticias/180-a-valorizacao-do-jogador-portugues-e-a-limitacao-de-jogadores-estrangeiros

Uma vez que o texto publicado afirma que “ Gostaríamos de conhecer a opinião dos Treinadores Portugueses. Enviem-nos os vossos contributos., o meu primeiro contributo tem a ver com a forma de comunicar da ANTB. Efectivamente, 8 meses para responderem a um sócio com as quotas em dia dizendo que “contributos aceitam-se” para um mês depois publicarem (!) uma sugestão de tomada de posição faria todo o sentido, mas apenas se tivessem sido coerentes.
Eu não conheço um treinador que tenha dado mais contributos, neste âmbito, do que aqueles que eu fui dando nos últimos 5 anos, tendo inclusivamente esses contributos levado à alteração do regulamento de competições da FPB (há cerca de um ano)… Como esse meu esforço foi maioritariamente realizado numa altura em que (ainda) nem existia (na prática) ANTB, julguei que seria do mais elementar respeito ter sido auscultado, pela nova ANTB, no sentido de ajudar a uma tomada de posição mais “robusta”… Talvez me tenha em crédito maior do que mereço (como se veio a comprovar pela postura da nova ANTB neste domínio) mas pensei sinceramente que a minha experiência prática poderia ser encarada como um contributo um pouco “diferente” dos restantes… Enganei-me. Eu, que defendo intransigentemente o Princípio da Inclusão, não o vejo posto em prática por quem, supostamente, representa os Treinadores Portugueses.

Entretanto, no final de Março de 2012, ou seja, no decurso do mês de intervalo entre a vossa resposta ao meu mail de há 8 meses e a vossa publicação, o nosso selecionador nacional e vice-presidente da nova ANTB, decidiu que o melhor contributo que podia dar a este processo seria dando uma entrevista a vários órgãos de comunicação social. Infelicíssima, por sinal, e que mereceu da minha parte uma resposta que pode ser consultada aqui: http://coach-f.blogspot.pt/2012/04/adeus-mario-palma-adeus-xenofobia.html . Estranhei, confesso, que não tivesse havido qualquer comentário ou tomada de posição da ANTB a esta posição assumida por Mário Palma. Ou seja, uma vez que não se demarcaram das declarações proferidas, presumo que se revejam nelas.

E aqui reside um dos princípios fundamentais que nos separam. Para mim, fazer bem ou fazer mal nunca podem ter a mesma consequência. Sabem… sou um Treinador…

Assim, o meu segundo contributo resulta do que expus atrás. Uma vez que não considero digna de um Treinador a postura do vice-presidente da nossa ANTB (e actual seleccionador nacional!), que não sinto respeitado o esforço que tenho feito em prol de um basquetebol nacional mais forte e que considero que a nova ANTB procedeu de forma gravemente sobranceira e incoerente, venho por este meio solicitar que anulem, com efeitos imediatos, a minha inscrição como sócio da ANTB.
Espero que compreendam que não me sinto representado nem nos valores, nem no conteúdo, nem na forma como age esta ANTB, pelo que agradeço que respeitem a minha vontade, na certeza de que voltarei a colaborar com esta ou outra associação de treinadores que honre a postura que os Treinadores Portugueses devem ter e os valores que devem defender.

Com os melhores cumprimentos,
Fernando Santos"

Sem comentários:

Enviar um comentário